sexta-feira, 20 de outubro de 2017

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

terça-feira, 1 de agosto de 2017

FILHOTE AOS 45 DIAS DE VIDA COM O PADRÃO "VON PAULUS"

Estamos sempre buscando fazer um trabalho de excelência na criação e desenvolvimento da raça Pastor Alemão. (*)O filhote da foto não esta disponível.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

quarta-feira, 1 de maio de 2013

sábado, 13 de abril de 2013

quarta-feira, 3 de abril de 2013

"HDZ" - HD-ZUCHTWERT - DO QUE SE TRATA? E SUA IMPORTÂNCIA PARA O MELHORAMENTO DA RAÇA.




O HD-Zuchtwert (HD-ZW), (em alemão) HD-Breed Value Assessment (em inglês) HD-Avaliação do Valor para Criação (em portugues), foi introduzido pela SV na raça Pastor Alemão em meados de 1998, com o objetivo de calcular os fatores de risco para a reprodução dos cães da raça, no que se refere à hereditariedade da displasia coxo-femural (DFC), e reduzir futuramente os fatores de risco.

Segundo a metodologia adotada, cães com valor abaixo de 100 teriam potencial para reduzir o risco de DCF e animais com valores acima de 100 de intensificar o problema. O objetivo é criar animais com valor abaixo de 100.

Este valor deverá ser o resultado da soma da metade do valor do pai com a metade do valor da mãe. Devemos levar em consideração, ainda, o resultado do controle feito através da radiografia dos irmãos e descendentes de uma forma geral. Por essa razão o índice não é estatístico. Pode variar para cima ou para baixo, dependendo, por exemplo, do resultado do controle de vários dos seus descendentes.

Um bom exemplo é o lendário Jeck von Noricum. Era um cão com radiografia “ainda permitido” e que tinha um índice de 94, enquanto que outro magnífico cão Zamb von der Wienerau teve o “normal” como resultado oficial de sua chapa e seu índice era 104.

O HD-ZW é atualizado pela SV a cada três meses e divulgado através da Internet, assim como através de publicações específicas por parte da SV. Pela internet poderá ser pesquisado em www.schaeferhund.de HD-Zuchtwert, AnzeigenvonHD-Zuchtwerten, é muito mais fácil obter informação sobre qualquer cão. A informação é pública. Basta digitar o nome do cão, o canil e seu número da SV. A informação está contida em um banco de dados com aproximadamente 450.000 cães, onde se incluem todos os cães que foram radiografados e selecionados na Alemanha por mais de uma década, ou mesmo aqueles que foram radiografados em outros países e que foram selecionados na Alemanha ou que participaram de alguma exposição naquele país.

O único controle existente até recentemente se dava através das radiografias de displasia coxo-femural. Este sistema, na verdade, serviu para reduzir drasticamente a incidência de animais com este grave problema. Serviu para reduzir o problema mas não o eliminou.

O controle de Avaliação do Valor para Criação no que se refere a displasia, o HD-ZW, foi iniciado em 1983 na raça Spaniel Alemão (Deutsche Wachtelhund) e posteriormente nas raças Golden Retriever, Pastor dos Pirineus e em várias outras, com resultados muito encorajadores (existem inúmeros artigos publicados na página da SV acima mencionada).

O conceito do HD-ZW foi introduzido para que os criadores encontrem um acasalamento apropriado, um acasalamento onde a média dos pais não deverá jamais ultrapassar 100.

Este conceito não foi introduzido para eliminar da reprodução animais com índice superior a 100. Foi incluído para convencer os criadores a fazerem cruzamentos apropriados. Todos os animais “A” serão aceitos na reprodução desde que o acasalamento seja feito com um parceiro ou parceira apropriado(a).

Poderiamos citar a titulo de exemplo um pradeador que possua, um HD-ZW de 102. Para que o valor do HD-ZW de seus filhos não ultrapassem 100, este pradeador devera ser cruzado apenas com fêmeas que possuam um HD-ZW de 82 no máximo.

Como já mencionado, programas similares de HD-ZW foram também adotados, com sucesso, na criação de outras raças na Alemanha. O sucesso deste controle na raça Pastor Alemão só poderá ser medido dentro de alguns anos. Até lá, apesar da subjetividade aparente na maneira de calcular os valores de referência, não nos resta outra alternativa senão acreditar nos resultados dos outros clubes que já implementaram o princípio do HD-ZW.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

"RENATA VON DER LUCIO" SELECIONADA CLASSE 1 NESTA DATA

 

 

Linebreeding - 5 generations

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Nosso "TACCO DO MAR VERMELHO" - Selecionado Classe 1 - Filho de Horby Von Batu - Neto do 2x VA1 na Alemanha em 2008 e 2009 Vegas Du Haut Mansard

pedigree completo em: http://www.pedigreedatabase.com/german_shepherd_dog/dog.html?id=637197









Sumula de Seleção: Macho grande, forte e expressivo. Muito boa coloração e pigmentação. Muito boas linhas superior e inferior. Boas angulações anteriores e muito boas as posteriores. Frente correta, passadas de bom alcance e propulsão. Muito boa reação ao tiro, coragem, temperamento e espírito de luta pronunciados.
Selecionado em: 19/06/2011
Juiz da Seleção: Marcelo Aspis

sábado, 3 de dezembro de 2011

FÊMEAS GANHAM A QUARTA CATEGORIA NA 207a. EXPOSIÇÃO DA SGCCPA, EM PORTO ALEGRE-RS.





* UCHA DE LOS VELTRI - filha de (Dux Von Haus Roten VA1 Argentina 2008)
PRIMEIRO LUGAR

* QUENA VON DER LUCIO - filha de (Natz Von Poxdorfer Tanenhoff VA 7 Argentina 2011)
SEGUNDO LUGAR



/>

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

PASTOR ALEMAO ANATOMIA E MOVIMENTO - COMO FUNCIONA A SUA MOVIMENTAÇÃO E TROTE

Neste video pode ser visto "Dingo vom Haus Gero", considerado por muitos como um cão com movimentação e trote perfeitos.


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Padrão Oficial do Pastor Alemão Offizieller Standard des Deutschen Schäferhundes Official Standard of the German Shepherd FCI Nº 166/23.03.1991/D.

METATARSOS: Curtos, bastante forte; salientando-se em ponta resistente e bem definida. Quando o animal em perfeito "Stay" e de perna avançada, forma um ângulo de 45º com a linha de solo e recuado situa-se em perfeita vertical vistos por de trás perfeitamente paralelos e colocados no prumo de encaixe na bacia.

PÉS: Fortes, com dedos bem arqueados; providos de almofadas grossas, bem unidas, duras e de bastante espessura; unhas curtas, fortes e escuras. Os chamados "pé de gato", assim como os finos, de dedos espalmados e os de "lebre" são indesejáveis

MOVIMENTAÇÃO: É desembaraçada, harmoniosa, ampla e elástica: parecendo, sem esforço, macia e rítmica. Trotador por excelencia, seu andar se processa pela forma mais simples; em 2 tempos, isto é, em diagonal. Ao se deslocar propulsiona com o traseiro esquerdo avança o dianteiro esquerdo, tudo numa sequência rápida, rente ao chão, sem qualquer deles se elevarem alto, quer no seu impulso traseiro, quer no alcance dianteiro. Atingindo bem a frente mediana do corpo próximo ao centro de gravidade, o forte propulsor agarra-se ao chão e então, metatarso, joelho e coxa, entrando em ação empurrando fortemente para trás, transmitindo através da garupa ao lombo, dorso e cernelha um vigoroso impulso aos anteriores ocasionando a abertura dos ombros em sua máxima amplitude o que vem permitir às pernas dianteiras alcançarem o mais possível a frente em perfeito equilíbrio com o avanço traseiro, sem perda em rendimento; movimento esse mantido graças às perfeitas correlações angulares e a completa coordenação muscular do conjunto. As pernas do cão Pastor Alemão não se movimentam em linhas paralelas e separadas como em outras raças, mas seus pés aproximam-se sempre da linha mediana do corpo, para a manutenção do equilíbrio e maior rendimento durante o trote e é por essa razão que, quando visto pela frente ou por trás, seus pés parecem movimentar-se juntos; não devendo todavia, nessa sequência, cruzarem-se, oscilarem os jarretes ou forçarem os joelhos para fora, o que seria falta. Em todo esse movimento há sempre um ponto de apoio, todavia, nos melhores exemplares dotados de angulações ideais, posição de garupa e perfeita firmeza da linha superior, dando sequência rápida de passadas e coordenação muscular, chega o momento em que o animal mantém-se completamente livre no ar sem nenhum apoio e a isso se denomina "Trote flutuante", condição somente alcançada em cães pertencentes a raça Cão de Pastor Alemão.

CARATER E TEMPERAMENTO: Temperamento forte, carater incorruptível, firmeza de nervos, atenção, fidelidade, coragem e alto espírito de luta são características marcantes da raça; todavia, embora não dado a amizade imediatas e indiscriminadas, quando em companhia de seu condutor deverá permitir a aproximação calma de estranhos, denotando confiança e perfeita controle nervoso mas, quando exigido, ardente e alerta, capaz e desejoso de servir com toda a força de seu carater e temperamento.

DAS FALTAS:

DESQUALIFICANTES: Albinismo - animais brancos - orelhas aparadas - orelhas mortas - caudas cortadas - caudas mistificadas - monorquidios - criptorquidios - descontrole nervoso - medo de tiro.

MUITO GRAVES: Prognatismo inferior - falta de 4 pré-molares ou outro qualquer dente exceto o 3º molar - Caudas de extremidades rombudas - timidez - Falta de confiança - nervosismo - agressividade exagerada - mordedor de medo - sensibilidade ao tiro.

GRAVES: Prognatismo superior - falta dos 3 pré-molares ou de um terceiro pré-molar -dentição cariada - sinais fortes de despigmentação - maxilares fracos - caudas muito curtas - caudas em gancho - ausência de sub-pêlo - falta de nobreza - apatia -indiferença - falta de harmonia e proporção - machos afeminados - fêmeas masculinizadas - falta na linha superior - faltas em aprumos - raquitismo - falta de expressão típica do Cão de Pastor Alemão.

SIMPLES: Mordedora em turquês - falta de 2 pequenos pré-molares - mau porte de orelhas - cabeça refinadas - focinhos alongados - faltas na conformação de pés - deficiência muscular - pelagem imprópria - dentes afetados descoloridos, gastos, escuros, estragados por cinomose, - olhos claros.

MENORES: Falta de um pequeno pré-molar - mau porte de cauda - olhos arredondados - olhos salientes - pelagem imprópria por condições temporárias - musculatura labial enfraquecida - pele solta no pescoço "barbela".

CERNELHA: Deve ser forte, bem desenvolvida e conformada, mais alta do que o dorso e inclinando-se levemente para este, oferecendo um perfeito encaixe das omoplatas e vértebras.

DORSO: Perfeitamente reto e horizontal, fortemente desenvolvido, sem abaulamentos ou convexidades e relativamente curto.

LOMBO: Quando visto pôr cima, deve ser largo e forte unindo-se suavemente ao dorso, e quando visto de lado, não apresenta espaço entre a última costela e a coxa.

GARUPA: Longa, de boa largura e levemente inclinada e bem recoberta de músculos. Garupa horizontal ou plana, muito curta ou caída são consideradas como faltosas e ideal aquela que apresenta uma inclinação de perto de 30º com a linha do dorso, partindo desta em ligação suave.

CAUDA: Cheia, devendo a última vértebra alcançar, no mínimo, a ponta do jarrete e usualmente ainda mais baixo; de inserção disfarçada tipo sabre. Quando o animal em movimento, a cauda deve elevar-se tornando-se um prolongamento do dorso; maiores elevações depreciam a aparência sendo permissíveis em caso de excitação, até uma linha imaginária que seria a perpendicular sobre a sua inserção: ultrapassá-la ou não sair de repouso (cauda morta) é falha. Cauda em gancho e algumas vezes em lateral é indesejável. Caudas cortadas ou aparadas desqualificam; as muito curtas e as de extremidades rombudas, devido à anquilose, encavalamento ou fusão de vértebras são faltosas.

TRONCO: A estrutura geral do corpo deve dar a impressão de profundidade e solidez, mas sem excesso de volume. O seu comprimento deve ultrapassar a altura da cernelha na proporção devida, os curtos e alongados deverão ser personalizados.

ANTEPEITO: Iniciando-se no pró-externo, bem cheio e descendo bastante entre os membros sem, contudo, ultrapassar a ponta do cotovelo; não revelando largura demasiada e muito menos qualquer indício de concavidade.

PEITO: Profundo e de boa capacidade oferecendo bastante espaço para pulmões e coração. Bem projetado para a frente com o pro-externo salientando-se bem a frente dos ombros, quando visto lateralmente.

COSTELA: Devem ser de boa saliência com relação à coluna vertebral, inclinando-se para trás com relação a esta em ângulo perto de 45º. Bem espaçadas e desenvolvidas, unindo-se em baixo ao esterno que desce suavemente acima do ponto do cotovelo. Não devem ter curvatura em forma de barril e não serem achatadas.

ABDOMEN: Firme, nunca flácido nem caído. A linha inferior é apenas levemente entrante nos flancos, mas nunca esgalgada, sendo nas fêmeas muito menos acentuada no que nos machos.

MEMBROS: Dados a sua condição de trotador, no cão Pastor Alemão os membros devem ser proporcionados e angulados de tal maneira que permite, sem uma alteração de sua linha superior, avançar as pernas propulsoras próximas ao centro de gravidade do animal, assim como distender as anteriores em igual extensão.

ANGULAÇÕES ANTERIORES: As omoplatas devem ser compridas e bem coladas ao corpo, ficando suas extremidades superiores bem unidas para a frente, num ângulo de 135 graus com a linha de dorso, em direcção ao ponto onde articula com o úmero (braço) de igual comprimento, formando o ângulo escápulo-humeral bem próximo aos 90 graus. O conjunto assim formado, denominado ombro, deve apresentar-se consistente, bem colado ao corpo, musculoso e nunca solto ou entrante.

POSTERIORES: Deve também consistir numa série de angulos retos, considerados os ossos em relação uns aos outros. O femur (osso da coxa) deve ser paralelo à omoplata e a tíbia (perna) ao úmero. O conjunto da coxa deve ser largo e bem musculoso, com o femur e a tíbia alongados e de igual comprimento, formando entre si um ângulo próximo também a 90º.

PERNAS: Os ossos das pernas, antebraço, devem ser retos e ovalados; nunca redondos ou chatos. Como dois pilares, perfeitamente verticais ao solo sob todos os ângulos, devem equilibrar com a massa do animal, e sem serem grosseiros, contribuírem para a impressão geral de substância. Ossos tortos, mal aprumados, de formação raquítica são decididamente indesejáveis.

METACARPOS: De comprimento médio, firmes e fortes; oferecendo bastante flexibilidade. Devem formar com a linha de solo um ângulo próximo a 60º e, quando vistos de frente, situarem-se no mesmo eixo das pernas. Os eretos, cedentes e desviados são indesejáveis.

ALTURA: É um animal levemente acima do tamanho médio. A sua altura, medida por uma perpendicular tirada da ponta da cernelha, com a pelagem comprida, ao solo em nível, tangenciando o cotovelo, deverá ser: Para os machos: de 60 a 65 cm. Para as fêmeas: de 55 a 60 cm. Variação para mais ou para menos diminuem o seu valor com cão de utilidade e como tal deverão ser penalizados.

COMPRIMENTO: É tomado em perfeita horizontal da ponta do externo a ponta do esquio.

PROPORÇÃO: O Cão Pastor Alemão é mais comprido do que alto a fim de melhor poder cumprir as finalidades para a qual foi criado, a proporção ideal, entre comprimento e altura é aquela compreendida na razão de 10:8.8.

CABEÇA: Forte e de traços bem marcantes, caracterizando-se pela nobreza. Deve ser bem proporcionada ao corpo sem contudo ser grosseira, muito embora um certo grau de rusticidade, especialmente nos machos, seja falta menor do que um super-refinamento.

CRÂNIO: Moderadamente largo entre as orelhas. Quando visto de frente, a testa é somente um pouco abaulada, sem sulco central ou então só levemente abaulada, vai se inclinando e afilando em direcção ao encaixe do focinho onde forma um "stop" obliquo não muito marcado, mas sempre presente.

FOCINHO: Em forma de cunha, alongado e forte, sua linha superior praticamente reta é paralela a um prolongamento imaginário da linha da testa. Visto de frente, com boa base e de narinas bem desenvolvidas, delineadas e sempre úmidas.

BOCHECHAS E LÁBIOS: De bom desenvolvimento, correndo lateralmente numa curvatura suave e sem projetar-se para a frente. Lábios fortes, firmes e com boa aderência oferecendo perfeito fechamento à boca.

MAXILARES: Fortemente desenvolvidos, oferecendo perfeito e sólido encaixe aos dentes. O inferior fraco, estreito e curto, aparentado proeminência do focinho é falta e como tal punida.

ORELHAS: Devem ser moderadamente pontudas, bem implantadas, largas na base, abertas para a frente e trazidas eretas quando em atenção: sendo ideal aquela posição na qual suas linhas medianas sejam perfeitamente verticais e paralelas entre si.
Bem inseridas, bem coladas e bem trazidas e equilibradas com a cabeça contribuem para a aparência e expressão do animal. Orelhas muito pequenas, muito grandes, de inserção baixa, abertas, não firmes, caídas e operadas são indesejáveis. As mortas devem ser proibidas à reprodução. As dos filhotes, usualmente, não se erguem permanentemente antes do 4º ao 6º mês e algumas vezes ainda mais tarde.

OLHOS: De tamanho médio, amendoados, implantados obliquamente e nunca salientes. A sua cor deve ser a mais escura possível, tolerando-se todavia os mais claros desde que se harmonizem perfeitamente com a coloração geral do animal. Sua expressão deve ser bem viva, inteligente e serena.

DENTES: Em número de 42 (20 superiores e 22 inferiores) na dentição definitiva, fortemente desenvolvidos, branquíssimos e de perfeita implantação. Com a boca fechada a face interna dos incisivos superiores deverá encaixar com a face externa dos incisivos inferiores (mordedura em tesoura) o que dá ao animal uma presa mais segura e um menor desgaste dos mesmos. Quando os incisivos da arcada inferior deixarem de encaixar com a face interna dos superiores, separando-se, haverá prognatismo superior, o que constitui uma falta. Quando os incisivos superiores baterem contra os incisivos inferiores (mordedura em turquês) é de todo indesejável. A face interna dos incisivos inferiores encaixando com a face externa dos incisivos superiores ou os sobrepujando, apresentando-se o prognatismo inferior que constitui uma falta muito grave. A ausência de qualquer dente é falta e como tal punida de acordo com as normas. Dentes de cinomose descoloridos, quebrados e gastos serão punidos de acordo com a gravidade.

PESCOÇO: Deve ser forte, musculoso, bem torneado, oferecendo uma ligação harmoniosa entre cabeça e tronco completamente livre de dobras ou peles soltas em sua parte inferior. Com o animal em atenção, cabeça e pescoço devem alçar-se; quando em movimento o porte ideal será com a cabeça mais a frente e em perfeito prolongamento do dorso e cernelha e nunca para o alto ou para baixo.

LINHA SUPERIOR: Esse conjunto deve oferecer uma continuidade harmoniosa entre Cernelha, Dorso, Lombo, Garupa e Cauda; perfeitamente equilibrado. O Cão Pastor Alemão surge logo à primeira vista como um animal harmonioso, bem proporcionado, mais longo do que alto e com um perfeito equilíbrio entre todas as diversas partes do seu todo. É um animal nobre, forte e vivaz, substancioso, sem ser grosseiro, evidência tanto em repouso como quando em movimento, perfeito apuro muscular e aprumos, tal um atleta em perfeita forma. É dotado de uma personalidade marcante, expressão direta e destemida, sem contudo se mostrar hostil, confiança própria, firmeza de nervos e uma certa reserva que não o predispõe a amizades imediatas e indiscriminadas; enfim de uma nobreza natural e marcante, seguro de si e que por si só impõe confiança, respeito e admiração. Seus caracteres sexuais secundários são evidentes, dando ao exemplar, logo a primeira vista, a aparência de um macho ou de uma fêmea; aqueles com um porte e comportamento decididamente masculino e estas inconfundivelmente femininas, insertas, porém, de qualquer fragilidade estrutural ou brandura de temperamento.

PELAGEM: O Pastor Alemão possui pelagem dupla; sub-pêlo e sobre-pêlo. A quantidade de sub-pêlo vária conforme a estação do ano e o tempo de vida ao ar livre, mas deve estar sempre presente, a fim de protegê-lo da água, temperaturas extremas e insetos. A sua ausência é considerada como falta e como tal punida. O sobre-pêlo apresenta-se em 3 (três) tipos:

- PÊLO RIJO NORMAL: Neste tipo, ideal, o sobre-pêlo é o mais denso possível, composto de fios retos, duros, e bem juntos ao corpo. A cabeça inclusive, interior das orelhas, partes interiores das pernas, patas e dedos são providos de pêlos mais curtos e menos asperos. Já no pescoço a pelagem é levemente mais comprida e forte. Nos membros dianteiros e traseiros os pêlos são em seus anteriores levemente mais curtos e bem juntos ao corpo: alongando-se e elevando-se para as faces posteriores em extensão aos metacarpos e jarretes, chegando, quando nas coxas, a formar calças moderadas. O comprimento nesse tipo varia levemente na média dos 5 (cinco) centímetros, todavia o muito curto, chamado de rato, é indesejável.

- PÊLO RIJO COMPRIDO: Os fios são mais alongados, nem sempre retos e antes de mais nada não bem juntos ao corpo. Na parte inferior das orelhas e em suas faces posteriores, já bem mais alongados e delicados, formados por vezes tufos. Nas faces posteriores dos membros, assim como na inferior da cauda, pelo seu alongamento, chegam a formar bandeira e, quando nas coxas densos culotes. O tipo de cauda é sempre tufado. Esse tipo de pelagem não se apresenta com a mesma resistência da normal, razão porque é indesejável, permitindo-se, todavia, na reprodução os possuidores de sub-pêlo denso em todo o corpo.

- PÊLO COMPRIDO: É bem mais alongado que o precedente, mais sedoso e ondulado, repartindo-se normalmente em dois ao longo da linha de dorso, caindo para os flancos. Geralmente, esses animais são dotados de peitos mais estreitos com formação de focinho mais afilado. Este tipo, indesejável, deve ser proibido à reprodução.

COLORAÇÃO Excetuando o branco, todas as cores são permitidas no Cão Pastor Alemão: preto, cinza-ferro, cinza ou unicolor ou com partes marrom, amarelo, bege e cinza claro, capa-preta e todas as suas variações. Em todos esses tipos, uma pequena mancha branca no peito não é sinal de defeito. O sub-pêlo é, com exceção dos animais pretos, sempre levemente colorido. A coloração do filhote é somente definida quando do aparecimento do sobre-pelo definitivo.

PIGMENTAÇÃO No Pastor Alemão todas as colorações deverão ser fortes, ricas e de pigmentação bem definida sem o menor indicio de descoloração. Sinais de despigmentação como: olhos claros, unhas brancas, partes internas dos membros, inferior do tronco e cauda esbranquiçada, deverão ser penalizados de acordo com sua intensidade. Os brancos e os de características albinos, serão desqualificados e vetados à reprodução.

ESTRUTURA O Pastor Alemão é um cão de utilidade, trotador por excelência e, como tal, sua estrutura foi criada para atender às exigências do seu trabalho sob as mais diversas condições.

domingo, 10 de janeiro de 2010

Pastor Alemão - Grupo 1 - Padrão FCI 166 Nomenclatura Cinófila Utilizada




1- Trufa 2- focinho 3- Stop 4- Crânio 5- Occipital 6- Cernelha 7- Dorso
8- Lombo 9- Garupa 10- Raiz da cauda 11- Ísquio 12- Coxa 13- Perna
14- Jarrete 15-Metatarso 16-Patas 17-Joelho 18- Linha inferior 19-Cotovelo
20-Linha do solo 21- Metacarpo 22- Carpo 23- Antebraço 24- Nivel do esterno
25- Braço 26- Ponta do esterno 27- Ponta do ombro

a- Profundidade do peito
b- Altura do Cotovelo
a + b = Altura do cão na cernelha

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

HÉRNIA INGUINAL EM PASTORES ALEMÃES - CIRURGIA ?



foto meramente ilustrativa



A hérnia é  conhecida como uma abertura dentro de uma massa muscular, que permite que outros órgãos internos passem. É uma pequena abertura natural dentro de uma faixa de músculo. Ela é adquirida, ao contrário do que muitos afirmam, ser de origem genética, e inclusive não existem estudos que comprovem tal afirmação.

Ela ocorre através do anel inguinal (umbigo) com a protusão de conteúdo abdominal. É causada via de regra pela própria mãe. Quando a cadela tem seus filhotes, na hora do nascimento, ela tende a cortar o cordão umbilical do filhote com os dentes. Elas vão cortando e puxando, e é essa tração que faz com que o filhote apresente então a hérnia umbilical. Isso é muito comum em praticamente todas as raças caninas.

Ainda pode ser o caso mais raros de machos que são criptorquidas (condição do macho na qual um dos testículos não desce ao escroto ficando retido na cavidade abdominal ou subcutâneo inguinal) apresentam herniação umbilical, (mas atenção a avaliação tem que ser criteriosa antes de um diagnostico deste tipo).

Nos casos de hérnia umbilical, geralmente não é necessário submeter o animal a uma cirurgia, a menos que este esteja sendo prejudicando. Mas na maioria dos casos os animais conseguem viver com a hérnia sem sentir dor ou qualquer desconforto.

Caso ocorra estrangulamento de alguma víscera abdominal no interior da hérnia, o cão certamente poderá apresentar vômitos, dor abdominal, ausência de apetite, entre outros mal estares. Nessa hipótese as hérnias são reparadas cirurgicamente, se colocando as estruturas de volta para sua posição correta e depois fechando a musculatura e pele com suturas.

Mas é preciso fazer uma consulta com um bom Médico Veterinário para diagnosticar o problema. É durante o exame com um profissional que se deve definir a necessidade de urgência ou não na cirurgia, caso ocorra muita dificuldade ou impossibilidade na redução da hérnia (manobra que permite recolocação das vísceras/tecidos ao abdômen) indica-se realização do procedimento o quanto antes. Caso as vísceras retornem ao interior do abdômen facilmente, sem sinais de comprometimento local, a cirurgia pode ser programada mais tranqüilamente.

Não se aconselha que fêmeas que apresentem hérnia umbilical emprenhem antes de resolverem o problema. Isso porque "pode" ocorrer a ampliação da hérnia durante a gestação e risco de comprometimento dos bebês e da mãe. O prognóstico da cirurgia e recuperação cirúrgica é excelente, geralmente quando o pós-operatório é realizado de forma adequada. Exige alguns dias de repouso, medicações e cuidados simples com o local da sutura.


Fonte: Site do Cachorro Adaptação: Revista Veterinária

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

REPRODUÇÃO E PARTO NOS PASTORES ALEMAES REPRODUKTION UND LIEFERUNG IN DER DEUTSCHEN SHEPHERD REPRODUCTION AND DELIVERY IN THE GERMAN SHEPHERD





De forma pratica ocorre da seguinte forma:

O cão, irá montar na fêmea. Após a penetração o cão ejacula os espermatozóides. Em seguida, ambos "cauda com cauda, grudados”, geralmente entre 10 a 40 minutos). É importante saber que o cão ejacula a porção do esperma rica em espermatozóides) nos primeiros 2-3 minutos. O local para a cobertura deverá ser o território do macho, pois é mais confortável, e em um lugar familiar ele agirá de forma mais decisiva. A fêmea no território do macho se comportam mais submissa.


Quando realizar a cobertura


O fêmea começa com um período chamado de corrimento vaginal proestro. A vulva fica inchada, porém a fêmea não aceita a cobertura. Este período dura aproximadamente 9 dias.Depois vem o estro que vai de 2 a 4 dias. Normalmente, a fêmea muda sua atitude e aceita o macho, a cauda fica em uma posição passiva e ela aceita o macho. Na maioria dos casos, neste momento ocorre a ovulação. Este acasalamento ocorre entre 11e 13 dias após o sangramento inicial.

Como confirmar a prenhez:

Através de ultra-som que pode ser feito entre os 15-18 dias de gestação. A forma mais prática é apalpar entre 25 e 30 dias após a cobertura. É seguro, sem problemas, quer para a fêmea ou para o filhote. Recomenda-se entretanto que seja realizado por um veterinário. Após 40 dias poderá ser ouvido o batimento cardíaco fetal, que diferem da mãe também. Após 45 dias a radiologia identifica os esqueletos, que foram formados. É um bom método para determinar a quantidade de filhotes.


Duração da Gestação

Entre 58 e 65 dias. Mais comumente 60-62 dias.

Como saber o momento do parto:

Às vezes, alguns dias antes a fêmea começa a cavar, tentando fazer um "ninho", mas no geral essa atitude é tomada 1 ou 2 dias antes do parto. A forma mais precisa é controlar a temperatura retal que será de 38 º ou 38,5 º. Quando descer para 37 º ou 36,5 º o trabalho de parto deverá iniciar entre 12 e 36 horas.

O Parto

A fêmea ficará inquieta, olhará para os seus flancos, poderá lamber a vulva e, finalmente, começara a empurrar. Desde o início do esforço é normal que o primeiro filhote nasça antes de 60 minutos e em seguida, a cada nascimento poderá passar de alguns minutos a 2 ou 3 horas. Às vezes, depois de dar à luz a alguns filhotes, a fêmea faz uma pausa. O nascimento de uma ninhada grande pode ser rápida e ficar completa em 4 horas ou exigir 18 horas para que seja concluída. O comportamento materno normal incluirá a ruptura das membranas, que envolvem os filhotes, uma intensa lambedura dos filhotes, e uma ingestão da placenta. A placenta é expelida em 5 ou 10 minutos depois. Durante e após o parto, os fluidos vaginais da fêmea são escuros.

sábado, 14 de novembro de 2009

Hiperplasia Quística do Endométrio em Fêmeas - Cystic endometrial hyperplasia in the females

A postagem deste artigo serve como um alerta para os criadores, e aqueles que pretendam criar, PARA QUE PRESTEM ATENCAO NA QUALIDADE DA RACAO QUE ESTAO UTILIZANDO POIS ESTA OCORRENDO ESTA DOENCA DE FORMA PRECOCE EM FÊMEAS, muito provavelmente devido a ingestacao de soja que é um componente presente em raçoes de qualidade inferior. Ao indagarmos com varios veterinarios, muitos entendem que a doenca que termina por retirada do utero da fêmea em idade precoce com cerca de um ano de vida estaria ligada a uma alteração da progesterona dependente do endométrio, talvez induzida pela ingestao de soja muito presente nestas racoes de qualidade inferior, que provocam alterações proliferativas e degenerativas da mucosa uterina da fêmea vindo a culminar com a retirada do utero da cadela, ou seja inutilizacao total da matriz para reproducao.

Curiosamente a hiperplasia quística do endométrio (HQE) é uma alteração ginecológica muito frequente em cadelas com idade de mais de 6 anos, sendo raros os casos em femeas muito jovens. A doença posssui uma etiologia complexa, e em seus estágios mais avançados co-existe com uma piómetra pelo que é genericamente designada de Complexo Hiperplasia Quística-Piómetra. Maiores detalhes no artigo que indicamos de autoria de:
Payan Carreira, R.*, Pires, M.A. publicado na Revista Potuguesa de Ciencias Veterinarias - CECAV, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, 5001-801 Vila Real
www.fmv.utl.pt/spcv/PDF/pdf3_2005/100_5_16.pdf

sábado, 7 de novembro de 2009

PEDIGREE - SUA IMPORTANCIA - PEDIGREE - THEIR IMPORTANCE - PEDIGREE - BEDEUTUNG

No pedigree do seu pastor alemão esta registrado toda linha de sangue a que ele pertence, consta o nome do criador, o canil,numero da ninhada etc. Trata-se de uma certificação por escrito onde consta que você esta adquirindo um animal que atende o padrão da raça seguido pela entidade brasileira credenciada pela FCI (Federation Cinologique Internacionale).

Fenótipo

Características físicas (externas) do animal. A FCI possui uma descrição exata do padrão físico da raça. Somente animais que se enquadram perfeitamente num desses padrões podem ser considerados da respectiva raça.

Genótipo

Características genéticas do animal. É a bagagem genética (passadas dos pais e antepassados) que ira determinar não apenas o padrão físico, mas outras características, como temperamento e aspectos da saúde do cachorro.

Um criador que preza pela qualidades necessita ter muito conhecimento, se faz necessário estudo, veterinário acompanhando o canil em tempo quase integral, ração premium, vacinas e remédios importados, higiene acima de tudo, custos com exposições etc. Estes custos são muito altos. Um canil que tem estes cuidados terá que cobrar um valor justo na hora da venda de seus filhotes, pois isto é criar com responsabilidade.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

OTITES EM PASTORES ALEMAES -OTITIS GERMAN SHEPHERD - OTIITIS DEUTSCHER SCHAFERHUND

O agente principal é a otite parasitária Otodectes ácaro sarcoptiforme cynotis. Trata-se de um ácaro contagioso, que se propaga nos animais mais jovens. Características: O parasita se alimenta de tecidos e fluidos e de restos da epiderme do canal auditivo, causando a irritação e aparecimento de um corrimento de cor marrom-escuro. O prurido é variável e não está relacionado à quantidade de secreção acumulada no duto. Muitos caes podem não apresentar sintomas evidentes de prurido e, outros com pouca agitação e secreção continuamente coçar suas orelhas. Em casos raros, os ácaros podem se espalhar para o resto do corpo causando dermatites similares aos processos alérgicos.






segunda-feira, 19 de outubro de 2009

RAÇÕES/ COMO ESCOLHER - FEED / HOW TO CHOOSE




Via de regra quanto maior o preço, certamente melhor será a ração pois mais digestíveis serão os seus ingredientes. Rações de alta qualidade possuem ingredientes a base de carne, rações de qualidade mediana são produzidas a base de milho, soja etc. Ambas são boas, mas se você pode optar escolha sempre independente da marca as chamadas “Premium”. Abaixo traçamos um singelo comparativo entre rações:

RAÇÃO - QUALIDADE ALTA

Ingredientes - carne, ovelha, peixe, galinha; Custo - Alto; Digestibilidade - Alta; Produção de fezes - Baixa; Menor quantidade por animal p/ manter a saúde; Não tem corante

RAÇÃO - QUALIDADE MÉDIA

Ingredientes - milho, trigo, arroz , soja; Custo - Baixo; Digestibilidade - Baixa; Produção de fezes Alta; Quantidades maiores p/ manter o animal saudável; Contem corante


A Instrução Normativa n.º 09, do Ministério da Agricultura, estabelece limites mínimos e máximos para os seguintes parâmetros:

Tabela 4 – Limites estabelecidos na legislação
Parâmetro
Limite
Valor para ração destinada a cães
cães adultos (%)
cães em crescimento (%)
Umidade
Máximo
12,0
30,0
 
Proteína Bruta
Mínimo
16,0
18,0
Gordura (Extrato Etéreo)
Mínimo
4,5
6,0
 
 
Fibra Bruta
Máximo
6,5
5,0
 
Cinzas (Matéria Mineral)
máximo
12,0
10,0
 
Cálcio
máximo
2,4
1,6
 
Fósforo
mínimo
0,6
0,6
 

Os parâmetros que tendem a comprometer a qualidade, caso sejam adicionados em excesso, têm limites máximos: Umidade, fibra bruta, cinza e cálcio. Outros, cuja falta poderia acarretar problemas para a saúde dos animais, possuem limites mínimos: proteína bruta, gordura e fósforo. Em ambos os casos, os limites são obrigatórios e devem ser respeitados.
Cabe aqui um resumo sobre cada parâmetro, para que se compreenda a importância dos mesmos na alimentação do seu animal de estimação:

Umidade: excesso de umidade pode favorecer a proliferação de microorganismos nocivos no alimento. Além disso, significa que o consumidor está comprando mais água e menos ração.
Proteína: serve para formar os ossos, músculos, estruturas nervosas;

Gordura: é a principal fonte de energia, importante para o crescimento e a reprodução;
Fibra bruta: componente necessário à saúde intestinal de cães e gatos. A inclusão de farelos vegetais em excesso pode elevar o nível de fibra bruta além do recomendado. Isso pode comprometer a digestão e absorção de proteínas e minerais, causando desnutrição.

Fonte: (  http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/racao2.asp)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

ERLIQUIOSE CANINA BREVES CONSIDERAÇÕES






É uma doença infecciosa que acomete os cães, causada por bactérias nominadas Ehrlichia, sendo a principal a Ehrlichia canis. A incidência tem aumentando muito todas as regiões do Brasil. A transmissão entre animais se da pelo sangue proveniente de um cão contaminado para um cão sadio, atrvés do carrapato marrom do cão (Rhipicephalus sanguineus).Poderá ocorrer também em transfusões sangüíneas, ou ainda através de agulhas ou instrumentos contaminados. Este carrapato pode ainda transmitir a babesiose, que poderá ocorrer conjuntamente com a Erliquiose.
A doença se divide em três fases: aguda (início), subclínica (assintomática) e crônica (infecções persistentes).

A fase aguda da doença se caracteriza por febre (39,5 - 41,5 oC), perda de apetite e peso, fraqueza muscular. Em alguns casos mais rararamente secreção nasal, perda total do apetite, depressão, sangramentos pela pele, focinho e urina, vômitos, dificuldade respiratória ou edema nos membros. Maiores informações em: Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v.3, n.2, p. 126-130, 2004
ISSN 1676-9732

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

DERMATITES CANINAS - DERMATITIS CANINE

Atopia canina; infecção de pele mais comum em cães. A composição genética e sistema imunológico de alguns cães contribui para o desenvolvimento deste tipo de dermatite. Cães com atopia canina tem coceira crônica, que faz sua pele ficar avermelhada e irritada. O rosto e as pernas são as áreas mais comumente afetadas por este tipo de infecção. Outros sintomas de atopia canina incluem corrimento nasal e nos olhos.
Dermatite de contato; cães que têm exposição direta com algumas substâncias, como alvejantes, produtos de limpeza, ácidos, sal ou álcalis, podem ter a infecção de pele chamada dermatite de contato. A parte do corpo do cachorro que entra em contato com o agente irritante torna-se geralmente muito pruriginosa e vermelha.
Sarna sarcóptica canina; os ácaros sarcoptes podem causar esta desordem da pele. As áreas afetadas incluem as orelhas, pernas, tórax e abdomen do cão. A bactéria residente na superfície da pele do cão comumente causam esta doença de pele. Ocorre durante a estação quente e úmida, é comum em certas raças de cães, como o Pastor Alemão.
Dermatite alérgica a pulgas; é basicamente causada por uma alergia à saliva das pulgas. Cães normalmente experimentam coceira intensa e constante, mesmo com apenas uma fleabite. A maioria dos cães têm queda de pelo nos pontos afetados. Existem muitas opções de tratamento da dermatite alérgica a pulgas. Além de tratar as feridas e coceira, você deve garantir que o animal não fique exposto a substâncias irritantes e alérgenos. Existem medicamentos tópicos e injetáveis, que não só ajudaram a aliviar a coceira, mas também prevenir a inflamação. "Consulte o seu veterinário" antes de dar a qualquer medicação ao animal de estimação. Traduzido e adaptado de Pet Medical Insurance

terça-feira, 13 de outubro de 2009

VACINAÇÃO/DESVERMIFUGAÇÃO - IMPFUNG - VACCINATION

Após cinquenta dias de vida, deve ser feita a primeira dose da vacina óctupla (V 8), para iniciar a imunização do filhotinho. A óctupla combate a (parvovirose, cinomose, hepatite, adenovírus tipo 2, parainfluenza e coronavirose) e a leptospirose que podem ocorrer nos cães, quando filhotes. O "cachorrinho" deverá ainda fazer dois reforços da vacina V 8, aos trinta e sessenta dias após a primeira dose. Ainda deverá ser aplicada a vacina anti-rábica, aos seis meses de idade. Qualquer vacina aplicada pelo seu veterinário nos filhotes devem receber reforço anual, na data de vencimento da última aplicação. Desta forma o seu filhote ficará protegido. O processo de desvermifugação é realizado em etapas, com o fito de eliminar todos os parasitas do trato gastrointestinal. Com vinte e cinco dias de idade, o filhote deverá receber uma dose de anti-helmíntico, próprio para filhotes, (consulte seu veterinário) por cinco dias. Deverá ser repetido aos 50 dias de idade. O filhote deverá ainda ser desvermifugado aos 75 dias de idade, também com um anti-helmíntico, pelo prazo de três dias. O procedimento será repetido aos seis meses de idade. Recomenda-se que o pastor alemão seja desvermifugado a cada seis meses, para que fique protegido.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Pastores/Caracteristicas/Cuidados - Pastoren / Features / Pflege - Pastors / Features / Care




O Pastor: Tamanho; Femeas 56-61 cm e Machos 61-66 cm.
Peso: Fêmeas 26 - 35 kg, Machos 30-41 kg.
Aparência: Ele tem um corpo atarracado e musculoso que é ligeiramente mais longo do que alto. Sua traseira é reta, o peito fundo, a cabeça expressiva, pescoço musculoso.
O focinho é forte, longo, as orelhas são inseridas altas e de pé, a cauda é ligeiramente curva e espessa. Seu pêlo é curto, liso e áspero, e fica deitado de costas.
O pastor pode ter muitas cores diferentes: preto, fulvo (que é amarelo-marrom), cinza e até branco.
Cuidados: Como esta raça tende a perder pelos, deverá ser escovado três vezes por semana durante dez minutos.
Caminhadas diárias são necessárias, média de 30 minutos.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

A alimentação de seu filhote - Füttern Sie Ihren Welpen - Feeding your puppy





Ao comprar um filhote, procure levar para a sua casa um pouco da ração com a qual o animal estava se alimentando. Se você for trocar a ração, faça de forma gradual, entre cinco a sete dias, a fim de que o animal não tenha diarréia ou não aceite a nova ração. No que diz respeito a quantidade o ideal para um filhote esta informado na embalagem de cada ração, que deverá ser dividida em três ou quatro porções, diárias até que ele complete 180 dias.Forneça ao seu filhote uma ração de qualidade, de preferência as "premium" ou que possuam os nutrientes balanceados. Ao completar os seis meses de idade, mantenha a ração para filhotes, mas forneça duas vezes ao dia. Atenção, procure acompanhar o peso do filhote durante a fase de crescimento.Se o filhote não estiver ganhando peso, o uso de suplementos vitamínicos e minerais, poderá ser necessário, mas com a recomendação e supervisão de seu Médico Veterinário.

Pastores Alemães e Displasia Coxofemoral (DCF) - Deutsch Schäfer und Hunde Hüftdysplasie - German shepherds and Canine Hip Dysplasia

Doente

Normal














É um problema esquelético, um desenvolvimento anormal da articulação do quadril onde a cabeça do fêmur não se encaixa confortavelmente no soquete pélvica. É caracterizada por um acetábulo raso (o "copo" da articulação do quadril) e alterações no formato da cabeça do fêmur (a "bola" da articulação do quadril). Estas alterações podem ocorrer devido a folga excessiva na articulação do quadril. Displasia da anca pode existir com ou sem sinais clínicos. Quando os cães apresentam sintomas de displasia da anca são geralmente em dor e manco em uma ou ambas as pernas traseiras. Artrite grave pode se desenvolver como um resultado da má formação da articulação do quadril e isso resulta em dor, a doença progride.
Maiores informações: Veja em Orthopedic Foundation for Animals OFA, ou ainda na University of Pennsylvania Hip Improvement Program PennHIP.

DISPLASIA DO COTOVELO - ELBOW DYSPLASIA - ELLBOGENGELENK DYSPLASIE

Há alguns anos o termo displasia do cotovelo (Roger Lavelle, da University of Melbourne, preferem a denominação doença do cotovelo) era usado para denominar uma doença degenerativa articular crônica e progressiva que acometia animais em desenvolvimento.

A OFA(Orthopedic Foundation for Animals), e nenhum criador deve desconhecer essa entidade determina que, originalmente, a displasia do cotovelo foi descrita como um doença do desenvolvimento manifestada como uma degeneração da articulação do cotovelo, com ou sem desunião do processo ancôneo. E chama a atenção dos criadores e veterinários que ainda, erroneamente, consideram displasia do cotovelo e desunião do processo ancôneo como sinônimos.

Para a OFA, a doença degenerativa do desenvolvimento da articulação do cotovelo tem múltiplas etiologias hereditárias que podem se manifestar de forma única ou em combinação: desunião do processo ancôneo, fragmentação do processo coronóide medial ou osteocondrite do côndilo umeral medial.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Pastor Alemão/Histórico - Shepherd Deutsch / Geschichte - German Shepherd / History

Pastor Alemão
Nome
Deutscher Schäferhund

Também conhecido como
German Shepherd,Lobo-da-Alsácia, Pastor Aleman
Origem Alemanha


Surgimento da Raça

O criador da raça foi o Capitão da Cavalaria Alemã Max von Stephanitz, que selecionou os melhores cães pastores da Alemanha, tendo inclusive realizado cruzamentos até com lobos para aumentar seu tamanho e agilidade.

O primeiro Pastor Capa Preta: Horand von Grafath, ou Hektor von Nürburgring, foi apresentado em 1882, em Hanover, Alemanha.

Horand era de tão boa qualidade, que a raça ganhou um grande número de cães em pouco tempo.

Em 1899 Max fundou a Verein für Deustcher Schaferhund, entidade que hoje é a maior do mundo em cães de uma só raça.